amarelinha

Amarelinha Semana Mundial do Brincar

Olá meus amores, tudo  bom?! Essas últimas duas semanas foram incríveis em minha vida. Que experiência maravilhosa foi vivenciar a arte e a experiência das crianças/adultos com a minha intervenção artística.

Participei pela primeira vez, da SEMANA MUNDIAL DO BRINCAR, com o pessoal do Projeto Aurora Waldorf Itu, lá na Vila Vegana e no Pastelaria casa do Bento, aqui em Itu.

Quando recebi o convite em participar da edição 2019 da Semana Mundial do Brincar, pela Paula uma das organizadoras do  projeto Aurora Waldorf Itu, me senti tão feliz, tão feliz que não cabia em mim tanta alegria.

Mas antes de relatar minhas experiências e sensações em criar Amarelinhas, gostaria de fazer um breve resumo sobre o Projeto Aurora Waldorf Itu e também sobre o tema da Semana Mundial do Brincar 2019

Vamos lá?!

Pedagogia Waldorf é uma abordagem pedagógica baseada na filosofia da educação do filósofo austríaco Rudolf Steiner, fundador da antroposofia. A pedagogia procura integrar de maneira holística o desenvolvimento físico, espiritual, intelectual e artístico dos alunos.   

PROJETO AURORA WALDORF ITU - como conheci

O Projeto Aurora Waldorf Itu é um grupo de estudos Antroposóficos, formados por de pais e simpatizantes da pedagogia Waldorf.

Eu conheci o projeto no começo desse ano de 2019 pelos compartilhamentos da Paula Teixeira. Que é uma parceirona, super mãe e  engajadora de projetos pro infância.

Me encantei de cara com o projeto Aurora. Que está empenhado em montar o Primeiro Jardim de Infância Waldorf ainda este ano.  Tenho certeza que irão conseguir!

Sigam o Instagram do Projeto  @aurorawaldorfitu

Nesse ano a pedagogia  Waldorf aqui no Brasil está completando 100 anos de expansão. Sendo, dados confirmados pela Federação das Escolas Waldorf, crescimento de 200% – 88 escolas filiadas, reunindo 16 mil alunos e 1,7 mil professores. E ainda existem 170 colégios tentando se filiar.

Para os educadores, o aumento na procura se deve a uma mudança de preocupação das famílias e também à abertura e desmistificação da pedagogia. “Havia um estereótipo de que nossas escolas são hippies, que não ensinamos o conteúdo e as crianças fazem o que querem. Quando passamos a explicar e mostrar o trabalho, o preconceito caiu e as escolas passaram a ter mais procura”, diz Melanie Guerra, diretora da Faculdade Rudolf Steiner, a primeira no País a usar o método na graduação, no curso de Psicologia. Fonte Isto É

 

A SEMANA MUNDIAL DO BRINCAR E A AMARELINHA

A Semana Mundial do Brincar aconteceu entre os dias  25/05 ao 02/06, teve como  proposta por meio desta ação proporcionar, de forma gratuita, momentos de convivência, palestras e espaços para brincadeiras. “O brincar que abraça as diferenças”, diz Paula Teixeira, que está à frente do projeto na cidade. Pelo menos aqui em Itu, SP

Paula comenta algumas atividades já feitas em Itu. “Há dois anos, pintamos Amarelinhas pela cidade durante a Semana do Brincar, para trazer a alegria das brincadeiras infantis. Este ano, chamamos a artista Ariane Muracami para pintar algumas de suas artes pela cidade. Quero que esse projeto não se restrinja a um único lugar. Que a cidade respire um pouco dessa alegria, desse brincar democrático”. Fonte: Jornal Periscópio

O objetivo do tema busca possibilitar múltiplas reflexões sobre a brincadeira como território de convívio entre as diferenças. Afinal, as primeiras interações entre crianças acontecem durante vivências lúdicas. como: conviver, se relacionar e brincar com pessoas de realidades diferentes estimulando o desenvolvimento da empatia e o contato humano.

Quem organiza os temas da Semana é o pessoal da Aliança pela Infância que iniciou os seus trabalhos ao universo infantil em 1997 nos Estados Unidos e Inglaterra.

São um grupo de diversos profissionais de outras áreas e educadores  preocupados em ampliar as oportunidades de as crianças vivenciarem mais e melhor a infância, por isso o movimento internacional se posiciona em defesa da infância.

Mas foi em 2001 que o movimento tomou força aqui no Brasil. 

A Aliança tem como objetivo acolher qualquer indivíduo que se sente a vontade com os princípios básicos do grupo.  Eles trabalham com grupos de pessoas que desenvolvem seu projeto a partir de suas áreas e talentos específicos. 

Cada núcleo desenvolve sua programação e organização do local ou locais que aconteceram os eventos da Semana do Brincar.

Para Itu, o grupo antroposófico escolheu a Vila Vegana, que é um lugar acolhedor,  fica localizado no centro da cidade, possui área verde, varanda com mesas, espaço play e também engajador de causas ambientais/animais. 

Os núcleos são considerados como sementes  que poderão contribuir nos próximos temas da Semana do Brincar. Além, de serem considerados um ponto de encontro enriquecedor das práticas pedagógicas e lúdicas da infância.

Fazer parte desse projeto só enriqueceu o meu curriculum e minha vida. Sou eternamente grata por ter participado do tema e do grupo de 2019.

Mas e aí, Ari? O que uma intervenção artística com AMARELINHA pode contribuir no desenvolvimento de uma criança…

O QUE A AMARELINHA PODE ESTIMULAR EM SEU FILHO

Brincar de amarelinha estimula o raciocínio e a agilidade da criança. Trata-se de um jogo que ajuda as crianças a desenvolverem confiança, respeito, habilidades de força, matemática. 

Outros pontos a serem lembrados:

  • Pular em um pé só = Desenvolvimento da consciência das linhas médias. …
  • É proibido pisar na linha = Controle corporal. …
  • Parar e Recomeçar = Ritmo corporal. …
  • Saltos = Força muscular. …
  • Em um pé só = Equilíbrio. …
  • As casas = Noção de espaço. …
  • Lançando a pedrinha = Coordenação óculo-manual. …
  • Apanhar a pedrinha = Coordenação motora fina
  • Estratégia – sequência e senso de prioridade;
  • Desenvolvimento Social – saber esperar a vez de cada um;
  • Ganhar ou perder tanto faz o importante é participar da brincadeira – desenvolve a personalidade.

 

“Brincar é uma das coisas mais incríveis que existe. As crianças precisam de tempo para brincar, induzir a criatividade e interpretar. Hoje, as crianças passam a maior parte do tempo em dispositivos eletrônicos, mal conversam entre si e mal sabem as brincadeiras que tivemos em nossa infância”

Enviar Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *